24 de abr de 2011


Virabhadrasana II.. eu gosto, e você?

Sempre tive um certo receio com as posturas em pé. Uma preguiça na verdade! Quando a aula começava deitada, eu logo já dizia: Beleza! Mas enfim, o tempo passou, minha prática amadureceu, e hoje eu aprendi a dar o verdadeiro valor as posturas realizadas em pé. Elas são como um chamado para o presente, para o aqui e o agora. Quem tem a mente mais aberta, "viajante", sabe do que eu estou falando, e só digo uma coisa! Postura em pé!

Virabhadra significa - encarnação da fúria do Deus Shiva - Postura do heroí Virabhadra. As vezes precisamos um pouco da fúria de Shiva para enfrentar o dia-a-dia não? É como se eu pudesse aterrar meus pés no chão e seguir em frente com muito mais garra e poder, com a confiança de um guerreiro. Fora a musculatura de pernas e costas que é muito privilegiada nesta postura.

É muito interessante mergulhar fundo no ásana, sentir o que ele tem a nos dizer. No livro a Árvore de Yoga, B.K.S Iyengar, faz a seguinte comparação: "Imagine um lago. A água toca apenas uma das margens? Ou todos os lados igualmente? Quando você está fazendo um ásana, sua consciência, como as águas de um lago, deve alcançar as fronteiras do corpo em todas as suas partes, Então como há espaço para pensamentos? Porque um pensamento invade quando você está fazendo um ásana perfeito, se sua inteligência se espalhou igualmente por todo seu corpo?

Grandes palavras de Guriji, muito obrigado!

Quando praticamos um ásana, principalmente aquele que fugimos o tempo todo (e é o que sempre precisamos dedicar mais treino e atenção) todo nosso corpo e mente deve estar voltado para aquela pratica,  para aquele ásana que está sendo executado, com riqueza de detalhes; como as águas do rio que banham as margens de forma equilibrada, nossa consciência deve atingir cada cantinho do corpo, iluminar cada espacinho vazio com luz e prana. Principalmente nas posturas que evitamos, é onde esta chave para a evolução.

Resumo da ópera: Escute sim seu corpo; mas as vezes se rebele contra  ele, contra a tendência  de permanecer estático, involuído. Este é um dos grandes aprendizados do Yoga.

Nenhum comentário:

Postar um comentário