16 de ago de 2012

Yogatransporte





Yogatransporte

Sim, o nome é este mesmo! Yogatransporte! A pequena viagem que fazemos todos os dias na nossa prática de Yoga.

Ontem uma aluna me disse: "Eu nunca fui à Índia, hoje não posso fazer tudo que desejo pois meu marido não entenderia, então sinto esta necessidade de fazer Yoga todos os dias, onde me conecto com tudo aquilo que faz sentido pra mim."

Infelizmente uma grande parcela das pessoas hoje, tem algum tipo de infelicidade, ou mesmo de insatisfação; seja no trabalho, nas relações amorosas ou na falta dela. Em alguma área de nossa vida pode haver algo que não faz muito sentido. Mas por uma questão de sobrevivência precisamos arregaçar as mangas, baixar a cabeça e encarar este cenário todos os dias.

Mas e se houvesse um lugar onde tudo faz sentido? Onde tudo parece fluir naturalmente, onde nos sentimos fazendo parte de algo maior... e se este lugar não estiver na Índia, se for dentro de nós mesmo? É possível?

É como se durante uma longa jornada pudéssemos abrir uma janela e respirar. O Yoga para mim tem este efeito, embora trabalhe com isso todos os dias, na minha prática pessoal é o momento em que eu abro esta janela e olho para um mundo totalmente particular, onde eu posso ser quem eu quiser, até eu mesma! Posso trazer a imagem dos lugares lindos que já visitei, posso sentir os aromas, a música e recriar qualquer atmosfera que me traga uma sensação gostosa, de algo que vivi mas que hoje não faz parte do meu presente.

Sempre busquei na minha vida ter coragem para seguir meu coração. Mas entendo que as vezes não é possível largar tudo e sair em uma viagem em busca de alguma coisa, quem as vezes nem sabemos direito o que é. Muitas vezes é preciso ter calma, e descobrir nestas pequenas arestas uma forma de ser feliz com aquilo que é possível, com o que está disponível e acessível naquele momento. Isso é um treino, que nos conduz para uma plenitude mais verdadeira.

Íshvara Pranidhana, a entrega, não necessariamente deve ser interpretada como um deixar-se levar, e assim o universo se encarrega; mas sim de aceitar aquela pequena parcela de não-controle que muitas vezes queremos dominar. Precisamos ter uma parcela de maluquice, aquela leveza boba de acreditar que no fim tudo vai certo. Mesmo estando no meio do caos!

Se não for possível largar seu emprego e correr para as montanhas do Himalaya, acredite que mesmo dentro do seu quarto é possível fazer esta viagem. É uma questão de estado de espírito, de usar o poder da prática para diminuir o espaço entre aquilo que desejamos e o que realmente é possível. Até chegar o momento em que desejaremos somente aquilo que é realmente necessário, e assim, nos tornaremos plenamente realizados.

Sonhos são importantes, movem! Metas, objetivos, o desejo de se alcançar o que se busca. 

O ponto aqui é o que fazer até chegar lá? Como não sofrer demasiadamente nesta jornada? Como ter pequenos espaços de plena felicidade mesmo antes de atingir aquilo que determinamos como o nosso real objetivo?

Yogatransporte. Mergulhe na sua prática, transforme seu tapetinho no tapete mágico do Aladim e vá onde quiser! Mas depois volte, porque ainda temos muito trabalho pela frente!

Boa viagem!

2 comentários: