29 de jun de 2011


Dharmo Rakshati, Rashita:
(proteja seu dharma, e o dharma irá te protejer).

Bem amigos, vou contar para vocês uma história impressionante que aconteceu comigo dias atrás.

Desde que cheguei na Índia fui dominada por um forte sentimento de dor e tristeza pela pobreza; pessoas doentes pedindo dinheiro pelas ruas e muitos animais abandonados, sem ter onde beber água num calor de mais de 45graus!

Por um momento eu pensei que era sensível demais para poder conviver e lidar com este tipo de situação; não que eu não veja isso acontecer no Brasil, mas é que vivendo aqui, andando diariamente pelas ruas, e é claro, já sensibilizada por todo o contexto de estar num lugar como este, pensei que seria demais pra mim, que não iria aguentar, ou que então, precisava fazer alguma coisa, mesmo que muito pequena.

Sai por aí, durante as tardes tentando deixar um potinho com água para os cães próximo do hospital, eles tem muito medo de gente, pois devem estar mais habituados a alguém chegar para fazer algum mal, do que bem, e também levar algumas sobras das nossas refeições, que não temos como guardar porque não temos refrigerador.

Na volta da escola, indo para casa, eu estava com um potinho de comida com uma mistura de abóbora e batata, mas em todo o trajeto que fiz pela manhã não havia encontrado nenhum animal (parece mentira, mas quando a gente tem comida as vezes não encontra); e fui para a aula com o pote na bolsa. Na volta, ao passar por um lixão, eu e meus colegas nos deparamos com esta cachorrinha, chorando muito forte, abandonada no meio do lixo; coberta de sujeira e moscas ao redor. Ela chorava muito de fome!

Eu neste momento, só consegui sentar no chão e começar a chorar! Porque fiquei muito triste ao ver esta cena, a sorte que estava com o potinho de comida e consegui dar alguns pedacinhos de batata para ela comer, e compramos leite também!

Bom, e agora? Eu moro no Brasil? Como vou fazer? Deixar ela aqui sozinha? Ela não tem como sobreviver nas ruas, é muito pequena! Perguntei para algumas pessoas que moravam perto deste local, mas elas não queriam nem saber! Eu entendo, é complicado, é mais um gasto para eles! Comecei a ficar bem preocupada!

Enrolei a cachorrinha num cobertor e aos prantos levei ela para o hospital, pensando que com muita sorte alguém poderia se interessar e ficar com ela! Mas eu sabia que seria muito difícil, pois a pobreza aqui é um grande problema, e eles não querem animais para ter que gastar mais dinheiro! Seria uma missão impossível! Mas não poderia ter deixado a cachorrinha no lixo! Confiei em Deus, e levei ela comigo!

Chegando no hospital (lugar que é totalmente proibido a presença de animais), mostrei a pequena para os meninos que trabalham lá! Ninguém se interessou! Todos foram muito carinhosos, mas entendi a expressão e sentimento de que seria muito complicado para eles, muitos moram em outras cidades e passam a semana ali trabalhando!

Até que um deles ao ver meu desespero disse que ficaria com ela, que levaria ela para casa! Nossa, eu fiquei tão feliz, mas tão feliz que não sabia como agradecer! Dei um dinheiro a ele e comprei 7kilos de ração! Porque eu sei que é complicado para eles gastarem com isso! Fiquei muito feliz e agradecida por este gesto! Viva!!!

No dia seguinte voltei lá, e ela estava limpinha e muito feliz esperando ir para a casa nova!!! Até com uma correntinha no pescoço! O menino disse que levaria ela para a casa dele no final da semana! Beleza né, era só esperar!

Mas o tempo passou e nada da cachorrinha sair de lá, e acredito que depois de um tempo ele parou de dar leite para ela, e a ração que eu comprei, mesmo sendo para filhotes era muito grande para ela mastigar! Então, todo o dia antes da aula eu levava leite e deixava a raçãozinha de molho e dava na boca dela no final da aula! Dias depois soube pela minha professora que o menino havia desistido de ficar com ela! Pânico! Ela não poderia ficar mais no hospital porque pacientes estavam para chegar! O que fazer?!!?

A sorte é que minha professora é um anjo, se preocupou com a história e conseguiu que ela fosse adotada por uma família que mora ao lado do hospital! O filho deles, um menino de 6 anos, todo dia ia lá no portão brincar com a cachorrinha, e minha professora perguntou se ele não queria ficar com ela! Ele perguntou para seus pais, se tudo bem (até saber a resposta vocês já imaginam como eu fiquei), e hoje ele foi busca-la! A parte ruim é que eu não estava lá para me despedir, mas sei que de alguma forma ela sempre vai lembrar de mim!

História com final feliz! Sei que não podemos salvar todos os bichinhos do mundo, por mais que a gente queira muito! Mas cada história como essa só preenche nosso coração de alegria e esperança! Seja em qualquer lugar do mundo! Meus parabéns a quem dedica a sua vida neste trabalho tão bonito de adoção de animais! Que a luz continue iluminando a vida de todos vocês!

Faça sempre aquilo que lhe parece bom! E seu dharma irá te protejer! Boas ações são como um escudo de proteção!

Segue as fotinhos desta fofa para vocês comemorarem comigo! Antes de depois!

Agora já deve estar na casinha nova brincando com seu novo amigo!








Final Feliz! :)










Um comentário:

  1. Amiga, que história linda! Chorei, me emocionei! Eu, uma amante de animais, não poderia ter ficado mais feliz com o resultado desta história.
    Se cada pessoa pudesse ajudar um ser, já teremos milhares de histórias felizes, não acha?
    Parabéns pela tua atitude!!

    ResponderExcluir